Slide

6 de janeiro de 2017

Memórias


Créditos destinyhayden.tumblr.com
(O texto a seguir foi totalmente influenciado por Martha Medeiros e sua crônica "Lembranças mal lembradas", obrigado, Martha ♥)

"As pessoas procuram tratamento psicanalítico porque o modo como estão lembrando não as libera para esquecer." ─ Adam Phillips. 
Uma frase dessas tem a função de dar com sutileza um tapa na cara de quem lê com o coração pesado de sentimentos não superados.
A verdade é que vivemos sofrendo por amores mal amados. Não sabemos lidar com términos, mandamos mensagens carregadas de sentimentos no meio da noite, stalkear quem não nos dá atenção é quase rotineiro e o sentimento da perda é uma dor tão cruel quanto a dor física. Ai mora o problema: nessas horas nossa mente cede as tentações do coração e apaga todo o mal que aquela pessoa te trouxe. Você se esquece das insônias, do descaso, das lágrimas, do visualizado e não respondido e tudo que lembra são das flores. Você se lembra daquela única vez que ele te animou em um momento de tristeza, daquele dia que desmarcou um compromisso pra te dar atenção e de todos os risos que te causou. E quando menos espera, lá está você querendo de volta o que largou a uma semana atrás. Um carinho aqui, outro ali e pronto! Você fica preso a migalhas de atenção, que incrivelmente parecem ser suficientes para alimentar suas esperanças, apegada a micro-momentos em que ele te fez bem.
O jeito que você lembra e pensa te faz sofrer ao quadrado. Esse é o poder de uma memória! Não é atoa que a humanidade quis tanto registrá-las com o passar do tempo com livros, fotos, vídeos e por ai vai. Memórias que serão talvez esquecidas quando seus cabelos nascerem brancos e você se perguntar se os olhos dele eram verdes ou azuis. Memórias que precisam evaporar e deixar apenas a experiência na bagagem. 
É como se cada relacionamento fosse uma casa em nossa mente. Quando acaba você pode fechar a porta e deixar a chave no esconderijo do vaso de plantas para recolher as experiências mais tarde, jogar por debaixo da porta para nunca mais lembrar ou deixa-la aberta para sempre visitar sem enrolação. A escolha é sua: superar, esquecer ou viver de novo tudo em sua cabeça? 

26 comentários:

  1. Texto maravilhoso! ��

    ResponderExcluir
  2. DEsde conheci seu blog fico encantada com seu talento para usar as palavras! Martha Medeiros é incrível e realmente inspiradora. Vi aqui do lado no seu perfil que vc tem apenas 16 anos e pretende fazer jornalismo, desse jeito que vc escreve aqui vejo que tem muito talento para seguir nesta profissão! Tenho certeza que se dará muito bem no ramo.

    Beijos

    www.ouviporai.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muuuito obrigado! Fico muito feliz de ler comentários assim ♥
      Martha é incrível mesmo, sou apaixonado por essa mulher.
      Sucesso <3

      Excluir
  3. Texto excelente, você escreve muito bem. Parabéns e sucesso!!!!

    ResponderExcluir
  4. Gostei muito do texto, parabéns! Os primeiros momentos pós-términos são sempre os mais difíceis, tomar essa decisão as vezes também é. No caso de relacionamentos abusivos, acho que possa ser um pouco mais complicado, não sei, porque a pessoa acaba fantasiando demais algo que não vive realmente, o que acaba tornando ainda mais difícil a pessoa perceber seus malefícios.

    beijos,
    deloucostodossomosumpouco.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado! ♥
      Relacionamento abusivo é mesmo uma coisa complicadíssima de lidar.

      Excluir
  5. Olá!

    Ótimo texto me prendeu do inicio ao fim. Vou procurar essa crônica fiquei interessada. Parabéns!!!
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado! Procure sim, Martha Medeiros é maravilhosa.

      Excluir
  6. Nossa eu nunca li um texto com tanto aprofundamento real do que sentimos no termino. "apegada a micro-momentos em que ele te fez bem" muito MUITO bem colocado, amei seu texto! beijinhos Julia
    blogocheano.com

    ResponderExcluir
  7. Super me identifiquei com o texto... meu problema é que eu sempre acabo vivendo tudo de novo na cabeça :(

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa, isso faz tão mal pra mim. Espero que aprenda a superar ♥

      Excluir
  8. Ai que texto lindo, me identifiquei bastante. Você é exelente na escrita, ta de parabéns!

    ResponderExcluir
  9. Você escreve muito bem! Acho que não se deve querer viver de novo momentos, em que na sua grande maioria foram ruins. Não devemos apagar os momentos bons, mas não devemos nos prender a ele. O coração é mais traiçoeiro do que cachorro com raiva!

    ResponderExcluir
  10. Ah que texto! Quem nunca não é mesmo? As lembranças podem ser traiçoeiras dependendo da situação, mas já imaginou que triste não poder lembrar? Que consigamos encontra um equilíbrio <3

    http://publicando-blog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Que texto lindo ♥

    Eu amo ficar lembrando das coisas que aconteceram e que foram boas. Consequentemente, algumas lembranças ruins vêm junto, mas, fazer o que? Faz parte. Um dia, talvez, eu as esqueça. Ou talvez aprenda com elas. O que for melhor ♥

    ResponderExcluir
  12. "O jeito que você lembra e pensa te faz sofrer ao quadrado. Esse é o poder de uma memória! " exatamente. As lembranças são boas, mas quando tem que ser ruim, acaba com você. Adorei o texto. beijo

    ResponderExcluir
  13. Adorei o texto, adoro as lembranças, elas me fazem reviver momentos feliz, e as vezes tristes!

    ResponderExcluir

Comenta aqui, miga!